NOSIGNER: Design Social

Leave a Comment

Luminária feita com casca de ovos, da Nosinger


“No futuro todos serão famosos por 15 minutos”, a célebre e profética frase de Andy Warhol antecipou em décadas o fenômeno da exposição potencializada em grau (talvez) máximo na cultura contemporânea com os perfis em redes sociais e os selfies.
A fama, independente de sua amplitude, deixou de ser uma consequência ou mérito e tornou-se um objetivo, um produto.
Na contramão desse movimento global alguns artistas vem abrindo mão dos holofotes em favor de suas criações. É o caso de grandes escritores contemporâneos como o norte americano J. D. Salinger (falecido em 2010) e os brasileiros Ruben Fonseca e Dalton Trevisan.
Na arquitetura temos o exemplo de Peter Zumthor, ganhador do Pritzker 2009 ( o Nobel da Arquitetura), eu vive recluso em uma aldeia com menos de 1.000 habitantes nos Alpes suíços.

Eisuke Tachikawa do estúdio Nosigner

Indo muito além nessa linha de pensamento, o jovem arquiteto japonês Eisuke Tachikawa do estúdio de design Nosigner, vem redefinindo o papel do designer "como alguém que não precisa de ser famoso, mas funcional e cooperativo”.
O Nosigner é um coletivo de design social que reúne diversos profissionais e colaboradores que preferem o título de “nosigners” ao de “designers”.
Um exemplo do que eles definem como design social é o projeto “open source” criado para o novo escritório da Mozilla no Japão e que tornou-se viral na internet. Toda a documentação do projeto está disponível na rede em PDF e pode ser baixada e facilmente recriada por qualquer pessoa. 



Na mesma linha eles criaram também projetos com tutoriais compartilhados como o do banco Olive (para ajudar os sobreviventes do terremoto e tsunami de Sendai de 2011) e a linha de jóias Ocica (para ajudar recuperação de Tohoku após o terremoto).
O primeiro projeto de Eisuke Tachikawa, quando montou seu escritório independente, foi uma luminária feita com macarrão e que qualquer pessoa pode fazer. E essa foi a linha de trabalho que deu origem à Nosigner, combatendo uma das bases do capitalismo.



Segundo Tachikawa, “perdemos a nossa imaginação para a criação após a idade de produção em massa, provocada pela Revolução Industrial. Nós compramos as coisas ao invés de fazê-las. Eu acredito que o futuro do design de produto será semelhante à antiga cultura da criação. Vamos fazer as coisas em vez de comprar, da mesma forma que cozinhamos em nossa casa.” 



#designsocial #nosigner #designinteriores #arquitetura #japan #mozillafactory


 

0 comentários:

Postar um comentário

Labels